24 de jun de 2015

Dia 12: Entre o Bem e o Mal (21 de março)

A questão da fé é sempre uma boa discussão, quando em boas mãos.

Entre o Bem e o Mal (Adam's Apples, do original Adams Aebler), dirigido por Anders Thomas Jensen, discorre sobre o tema nesse filme dinamarquês de 2005. O gênero referido da produção é comédia, mas não aconselho a expectativa de uma história leve nessa narrativa sobre o bem, o mal e a humanidade.

O humor está presente, mas é sutil em alguns momentos, quase histérico em outros... Acarreta mais incredulidade do que risadas. É um humor negro, insurgente. Não somos sequer capazes de qualquer dúvida diante dos aspectos cômicos do início: fica claro desde o primeiro momento que esses personagens, que parecem somente estúpidos, têm uma profundidade maior do que podemos identificar à primeira vista. Sabemos que muito ainda está por vir nesse conto sobre fé e outros elementos que envolvem estar vivo neste mundo insano. 

A fé, especialmente numa esfera religiosa, pode ser considerada como incontestável. Como um raio que nos atinge subitamente, uma percepção milagrosa. Claro, há  histórias incríveis a respeito de milagres. Mas Entre o Bem e o Mal não é um deles. Apesar de ser, de fato, uma história genial, ela se refere a como a fé surge da adversidade, da dor, da perda e de tantos acontecimentos catastróficos quanto uma pessoa pode suportar. i

Minha fé na vida decorre de ambos, eu acho. Sou grata por alguns milagres na minha vida. Mas, por outro lado, os tempos mais difíceis por que passei reforçaram minha fé na vida, no amor e na humanidade, ainda que eu a perca constantemente. Apenas para reencontrá-la novamente, a seguir. 

Meu querido amigo Rodrigo, um dos que ajudam a reforçar minha fé na humanidade, me indicou este filme quando conversávamos sobre o quanto Mads Mikkelsen é bom ator. Dois dos meus filmes favoritos o trazem como protagonista:  Depois do Casamento (After the Wedding ,2006), que chamou minha atenção para a diretora dinamarquesa Susanne Bier, e A Caça (The Hunt, 2012, um dos filmes mais angustiantes e revoltantes, mas absolutamente honesto que já). É curioso como Mikkelsen normalmente interpreta personagens surrealmente bons e corretos nas produções nórdicas (com algumas exceções, claro), mas geralmente aparece como vilão em Hollywood - dois filmes do 007 e na série Hannibal são alguns exemplos. Em qualquer delas, no entanto, eu tento conferir seu trabalho, sempre uma grata surpresa, como em Adams Aebler

http://onemovieadaywithamelie.blogspot.com/2015/03/day-twelve-march-21.html


Entre o Bem e o Mal (Adams Aebler). Dirigido por Anders Thomas 
Jensen. Com: Urrich Thomsen, Mads Mikkelsen, Nicolas Bro. 
Roteiro: Anders Thomas Jensen. Dinamarca/Alemanha, 
 2005, 94 min., Dolby SR, Color (DVD). 





PS: Fragmentos: Truque de Mestre (Now You See Me2013), um filme que eu ainda tenho de ver desde o começo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário