14 de jun de 2015

Dia 5: Kingsman: Serviço Secreto + Golpe Duplo (14 de março)

Em homenagem ao Pi day (3,14 em inglês), um filme bastante nerd... Não foi intencional, mas, como eu já disse aqui, eu não escolho os filmes. Em vez disso eles acabam por me escolher. Por mais estranho que isso pareça.

Olhos grudados na tela, eu não acreditava no que via. Tantas referências, tanta ironia, diversão demais. Não li os quadrinhos (ainda), mas tenho a impressão de que Kingsman: Serviço Secreto (Kingsman: The Secret Service) é uma boa adptação. Primeiro, o diretor, Mattew Vaughn, é co-criador dos personagens, juntamente com Mark Millar e Dave Gibbons. Pesquisando a respeito, descobri um artigo de 2012 que reportava o lançamento do quadrinho e a possibilidade de um filme. Eu não sabia disso até há cinco minutos. Minha questão é: onde eu vivo? Em marte? E eu costumo dizer que gosto de quadrinho... imperdoável. 

O filme é divertido demais. Meu sorriso diante das cenas ia se tornando maior e maior, até a cena na igreja, quanto a história toma o rumo de uma visão violenta do mundo de uma forma bastante contundente. Mas eu não deveria ter esperado menos de Vaughn. A risadas não são em vão: Kingsman é uma história bastante séria, ao mesmo tempo que divertida e inteligente. 

Colin Firth num filme é sempre um presente, especialmente após um tempo sem vê-lo no cinema. Seu personagem carrega consigo tantas referências, especialmente para o público britânico, ao que parece... eu queria ter mais conteúdo para alcançá-las todas. Um exemplo é o seu escritório com as paredes forradas de primeiras páginas do tablóide The Sun... provavelmente há tanta ironia ali, mas a maioria passou despercebida por mim. Uma pena. 

Meus olhos, minha mente, minha alma estavam felizes hoje. E a minha vontade agora é vê-lo novamente, lamentando que eu tenha perdido as sessões do filme na sala xD na semana passada. 

Uma observação: eu estou cada vez mais aversa a pessoas dentro da sala de cinema. Por isso, eu me vejo cada vez mais procurando as fileiras da frente - uma penas que muitos tenham essa mesma ideia. Eu imagino que o sentimento de solidão dessas pessoas seja tão forte que os levem a comprar uma cadeira tão próxima a uma já ocupada. Desculpa, isso parece uma maluquice (uma prerrogativa de todo ser humano, aliás), mas numa época em que os espectadores parecem pensar que se encontram na sala da sua casa e não num espaço público é realmente difícil ficar perto das pessoas. Hoje, havia um pé horroroso apoiado na cadeira ao lado da minha. Grotesco mesmo. E fedido. Eu mudei de lugar, felizmente, para assistir ao filme em paz, e livre de odores.  Ok, talvez eu estivesse mais irritada que o normal, mas aquele pé foi demais para mim. 

http://onemovieadaywithamelie.blogspot.com.br/2015/03/day-five-march-14.html

Kingsman: Serviço Secreto. Dirigido por  Mattew Vaughn. 
Com: Colin Firth, Taron Egerton, Mark Strong, Samuel L. Jackson,
Michael Caine. Roteiro: Mattew Vaughn and Jane Goldman
a partir da HQ de Marak Millar e Dave Gibbons. Inglaterra, 2014, 
129 min., Dolby/Dolby Atmos, Color (Cinema).





Eu sei que este blog se chama Um Filme por Dia, mas às vezes esse número pode se multiplicar. Eu gosto muito de sessões de cinema duplas ou mesmo triplas, e neste sábado não foi diferente. Depois de Kingsman, eu aproveitei que havia outro filme iniciando e decidi fazer uma sessão dupla. 


Não foi muito justo assistir a Golpe Duplo (Focus) depois de Kingsman. A diferença entre os dois se torna ainda maior quando vistos perto, mais do que seria se vistos em dias separados. Claro, o filme é divertido, mas todo o tempo eu pensava como Irresistível Paixão (Out of Sight1998), como uma temática similar, é tão, mas tão melhor. De novo, eu estava sendo um pouco injusta, mas durante todo o filme eu tinha a impressão que ele tentava ser o que o filme de Seven Soderbergh com George Clooney e Jennifer Lopez é com perfeição: uma história policial, inteligente e charmosa, com um vigarista simpático como herói; imagens e som fora de sincronia em algumas cenas criando um efeito narrativo interessante; uma trilha sonora afiada... Ao final do filme, nada havia mudado em mim, exceto o que tinha se transformado durante Kingsman. Mas Golpe Duplo é um divertido, Rodrigo Santoro tem mais de duas falas, e essa foi uma boa forma de ficar fora de casa em dia de faxina... 



Focus. Dirigido por  Glenn Fiquarra, John Requa. Com: Will Smith, Margot Robbie, Rodrigo Santoro. Roteiro: Glenn Fiquarra, John Requa.  EUA, 2014, 105 min,. Dolby Digital/Datasat, color (Cinema).


PS: Fragmentos: A Culpa é das Estrelas (The Fautl in Our Stars) me acompanhou na escrita deste post. O bom foi que, pela primeira vez, eu não chorei baldes durante o filme... Ok, falei cedo demais. Começou o choro (a cena do elogia fúnebre... Melhor terminar este post agora mesmo).  





Nenhum comentário:

Postar um comentário