12 de set de 2015

Dia 142: Oldboy (29 de julho)

Eu realmente preferiria não ter de escrever a respeito do filme de hoje. Mas como eu não me permito nenhuma escapulida neste desafio, aqui estou. 

Eu poderia ir direto ao ponto e dizer o quão magistral consegue ser Chan-Wook Park em Oldboy, uma produção de 2003 que eu levei muito tempo para ver. Eu apenas posso imaginar como teria sido assistir a esse filme no cinema, porque a fotografia é ainda muito atual e surpreendente, apesar do crescente número de produções com esse tipo de estética pop gamer atualmente.  Durante todo o filme, eu me imaginei na sala de cinema, há treze anos, maravilhada e aterrorizada pelo que via diante de mim. Mesmo na tela da minha televisão esse filme é lindo e de grande impacto. 

Essa afirmação seria precisa, até, mas um pouco distante do que realmente aconteceu comigo ao ver Oldboy.

Completamente só num mundo deserto e escuro, gritando desesperadamente na direção de um céu turbulento e caótico seri uma imagem mais apropriada ao caso. Se por um momento você pensou que eu posso estar exagerando, pense novamente. Estou sendo até bastante discreta, na verdade. Eu não sabia o que fazer comigo mesma durante as últimas cenas. Eu amaldiçoava a decisão de ver esse filme, xingava os roteiristas, ao mesmo tempo em que não conseguia desviar meus olhos da tela. Num estado bastante perturbado e com o coração em milhões de pedaços, eu desejei não ter assistido a esse filme, mas estava ainda assim grata por tê-lo finalmente visto. 

Uma história de proporções trágicas, um modo de filmar peculiar e belo, atuações extraordinárias: esse filme é ouro. Incrivelmente sofrido, horrível e verdadeiro. Vingança parece ser o tema preferido de Chan-Wook, e somente por esse filme eu imagino o que o levou a debater a respeito de forma tão contundente e sem concessões. Não tenho certeza se chegarei à outras de suas produções, no entanto, ao menos por um bom tempo. Ainda estou tentando ficar bem depois do filme de hoje, um soco no estômago de que é difícil se recuperar. 

http://onemovieadaywithamelie.blogspot.com.br/2015/07/day-142-oldboy-july-29.html


Oldboy (Oldeuboi)Dirigido por Chan-Wook Park. Com: Min-Sik Choi,
Ji-Tae Yu, Hye-Jeong Kang. Roteiro: Chan-Wook Park et al. a partir dos
quadrinhos de Nobuaki Minegishi. Coréa do Sul, 2003, 120 min., 

Dolby Digital, Color (DVD).

PS: Há um remake desse filme com Josh Brolin eElizabeth Olsen, mas, pelo comentários, ele não conseguiu fazer jus ao original. 

PPS: Parce que moi je rêve, moi je ne le suis pas... Porque eu sonho, eu não sou...  Um dos filmes mais chocantes, senão o mais chocante que vi é também um dos meus favoritos na vida. Ao final de Léolo, uma produção canadense de 1992, todos no cinema ficaram paralisados. Ninguém se movia, todos congelados diante da porrada que foi a última cena. o entanto, Oldboy conseguiu se colocar num patamar superior no que diz respeito ao choque e tragédia, algo que eu não pensava ser possível. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário